Câmara da Murtosa vai ter orçamento de 8,9 milhões de euros em 2018

Posted on Posted in Uncategorized

A Assembleia Municipal da Murtosa aprovou as Grandes Opções do Plano (GOP) e o Orçamento do município para 2018, no valor de 8,9 milhões de euros, o que representa uma redução de 9% face a 2017.

O documento foi aprovado por maioria com 16 votos a favor do PSD e do CDS e três votos contra do PS.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara, Joaquim Batista (PSD), disse que as GOP estão “fortemente condicionadas” pelo plano de investimentos que transita de 2017, que contém cerca de 2,5 milhões de euros para obras que se encontram em desenvolvimento.

“Em condições normais, isto é a capacidade de investimento do município. A nossa capacidade será suplantada com a incorporação do saldo de gerência, um valor superior a três milhões de euros, e com algum financiamento comunitário”, disse o autarca.

Os planos estratégicos de reabilitação urbana, a aposta na qualificação dos equipamentos escolares de proximidade, o investimento na qualificação ambiental e na diferenciação dos recursos, a atenção aos equipamentos de apoio à pesca local e o reforço no apoio ao associativismo são alguns dos vários eixos estratégicos.

Entre as obras previstas está a beneficiação e ampliação das escolas do primeiro ciclo de Monte e S. Silvestre, a recuperação e requalificação do Centro Recriativo Murtoense, a reabilitação e ampliação do Estaleiro-Museu na praia do Monte Branco e a reabilitação da área central da vila.

Estão ainda previstos dois grandes investimentos que dependerão da celebração futura de contratos de comodato com as juntas de freguesia, nomeadamente a reabilitação e ampliação do edifício assembleia-teatro da Torreira e a reabilitação e requalificação do cineteatro da Murtosa.

O Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) mantém-se nos 0,33%. A participação variável do IRS fixa-se nos 4% e no caso da Derrama a taxa a aplicar será de 0,4%.

A Câmara Municipal da Murtosa, no distrito de Aveiro, é liderada pelo PSD, com quatro eleitos, estando a oposição representada por um vereador do PS.